5 DICAS PARA COMBATER AS QUEIMADAS E AS MUDANÇAS CLIMÁTICAS

Vamos falar do fogo?

Todo ano nos deparamos com as notícias de queimadas e desastres causados pelo fogo na natureza. Essa atividade pode ser muito danosa para o meio ambiente, por que libera gases que provocam o efeito estufa e de quebra ainda geram mal estar e problemas de saúde na sociedade. Nos últimos anos as queimadas aumentaram ainda mais e por isso queremos te contar por que você pode ajudar e o que pode fazer para combater e diminuir os impactos delas nas mudanças climáticas. 

Desde 1985 até 2020 registramos uma quantidade de incêndios e queimadas que equivalem a um espaço maior que a Inglaterra, ou seja, em 36 anos queimamos o equivalente a um país europeu, segundo a Menos Um Lixo. Quase 20% do Brasil já se perdeu nas chamas e a Amazônia e o Cerrado são os biomas que mais são afetados por esses incêndios. É o que diz um estudo do MapBiomas. E o fato mais impressionante é que 61% das queimadas que ocorreram nesses biomas, não foram queimadas isoladas de um evento inesperado, ou seja, ainda falta muita fiscalização e cumprimento de leis que protejam nossa natureza. 

Recentemente com a divulgação dos resultados do relatório do IPCC (Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas) e de outros estudos, o Brasil deve se preocupar, e muito, com as queimadas. Os efeitos do fogo em áreas naturais de floresta nativa são quase irreversíveis, e perdemos o habitat de diversas espécies que podem existir apenas aqui, por conta dessa atividade. Esse é um dano irreparável e que nós, como sociedade, podemos tratar com mais cuidado. Aqui iremos te mostrar como você pode ajudar. 

A relação com o aquecimento global

Além do impacto local momentâneo, causado pelas cinzas e fumaça, os dados sobre incêndios são preocupantes porque quando as florestas queimam, gás carbônico e metano são liberados na atmosfera. Estes gases contribuem para o aquecimento global e podem mudar o clima. E nós já sabemos que se não conseguirmos frear a crise climática teremos um impacto que vai muito além da variação de temperaturas: teremos um risco para a própria manutenção da vida na Terra. 

Recentemente compartilhamos o novo estudo que afirma que a sociedade caminha para o colapso no ano de 2040. Isso significa que até lá não suportaremos o crescimento populacional devido à pressão dos dos gerada sobre os recursos naturais e energéticos, mesmo tendo em conta o avanço tecnológico. Por isso, o assunto do combate à Crise Climática é um assunto para ontem. 

Já estamos atrasados na tentativa de reverter este relógio e por isso devemos pressionar as políticas públicas e o mercado para que se adequem tanto na fiscalização, quanto na criação de novas leis e práticas empresariais ambientalmente seguras. 

Os principais problemas que poderemos ter com o agravamento da crise climática são:

  • perda da biodiversidade
  • períodos de inundações e estiagens extremas
  • insegurança alimentar
  • aumento da mortalidade

Sabemos que toda atividade antrópica (feita pelo homem) pode gerar um impacto na natureza. Demos inclusive um nome para isso: é nossa pegada ambiental. Neutralizar a pegada ambiental é fundamental para gerarmos uma cadeia de eventos que possa compensar todo esse estrago que causamos nos nossos ecossistemas e garantir nossa sobrevivência no planeta, para além de 2040.

Então o que fazer?

Pensando nisso, juntamos dicas práticas de como ajudar a combater as queimadas e influenciar positivamente na alteração do clima.

1.Nunca ateie fogo propositalmente.

 Infelizmente, o óbvio precisa ser dito. Ainda temos diversos incêndios causados por práticas que podem ser evitadas, é o caso dos incêndios ocasionados por balões, ou pela queima de lixo e folhagens. Além da atividade ser crime ambiental  (Lei Federal nº 9605/98), ela pode ser muito perigosa e danosa. Os moradores de regiões próximas às queimadas podem sofrer com o cheiro e com a fuligem e até ter problemas respiratórios. Portanto, não brinque com fogo. 

2.Faça a gestão correta dos resíduos. 

Os incêndios que não começam por atividades humanas podem começar naturalmente em terrenos que contém objetos inflamáveis ou mal cuidados. É o caso de terrenos baldios que juntam mato muito alto e seco, ou lixo depositado de maneira irregular. Por isso, todo proprietário de terreno deve manter sua propriedade limpa e nunca queimar o lixo, folhagens, galhadas e entulhos, principalmente se for próximo de áreas de vegetação. Este tipo de material deve ser destinado para o local certo, e não queimado. Fale com a nossa equipe se precisar de descarte adequado aos seus resíduos! 

3.Não jogue bituca de cigarro no meio ambiente. 

A melhor orientação caso você seja fumante é procurar os pontos com coletores ou bituqueiras para descarte correto, ou então as lixeiras comuns. Antes de descartar, é importante apagar a bituca, para não correr o risco de provocar um incêndio caso a ponta do cigarro acesa entre em contato com algum material inflamável. Outra alternativa é carregar o próprio cinzeiro portátil. No site do ReciclaSampa é possível ter mais informações sobre as essas embalagens portáteis e sobre a reciclagem e o pós uso de bitucas. 

4. Seja responsável mesmo enquanto estiver descansando.

Em viagens tenha muito cuidado na hora de acender fogueiras, lareiras, velas, lamparinas e lampiões. Só acenda o fogo enquanto você puder monitorá-lo. Quando for deixar o local, certifique-se de que as brasas já foram todas apagadas. Além disso, quando sair para as práticas turistas em caminhadas e trilhas nunca deixe o resíduo do seu consumo na natureza. Alguns locais podem não ter infraestrutura para recolhimento do resíduo, então é fundamental que você o carregue de volta e por fim destine num ponto de entrega (PEV). Como já dissemos, o lixo pode ser muito inflamável e contribuir para as queimadas se alastrarem. 

5.Repense o que você consome

Procure conhecer a origem e a cadeia produtiva dos itens que pretende consumir para escolher opções mais sustentáveis. Dentre as atividades potencialmente causadoras das queimadas está o avanço de campos para agropecuária. Por isso, verifique se as marcas e produtos que você consome possuem relação com esse tipo de atividade. Diminuir o consumo de carne, comprar produtos com selos de sustentabilidade e optar por consumir de produtores locais e certificados podem ser formas indiretas de contribuir também. 

Como compensar os efeitos das queimadas

Por fim, se você se encontrar numa situação em que um incêndio já se iniciou procure por ajuda rapidamente. Quanto antes o combate começar, maior a chance de o fogo não se espalhar descontroladamente. Para isso basta acionar o Corpo de Bombeiros Militar pelo fone 193 ou a Defesa Civil no fone 199, manter-se calmo e informar a localização exata ou um ou mais pontos de referência para que as equipes encontrem o local de forma mais rápida.

Por aqui, trabalhamos muito para oferecer soluções que vão de encontro a todos esses contratempos. Na Valora queremos te ajudar a gerar um impacto positivo. Por isso, criamos uma metodologia capaz de ajudar a neutralizar as emissões de Carbono de forma inovadora: através do resíduo! 

Quando se trata de mudanças climáticas, acreditamos nas múltiplas formas de atuar sobre ela. Se você ou sua empresa tem essa necessidade no DNA, fale com a nossa equipe! Te ajudaremos a calcular o quanto de CO2 poderá ser neutralizado a partir da reciclagem de resíduos.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *