O TIME VALORA: EM QUE PÉ ESTAMOS?

Essa semana foi de gravação por aqui! A equipe Valora cedeu entrevistas em parceria com o Eco Bagagens junto do Rogerio Naressi e seu time e decidimos compartilhar por aqui com vocês também! Essa foi a entrevista que o sócio fundador Flávio Salsoni cedeu contando um pouco sobre em que pé a Valora se encontra!

 

ENTREVISTA VALORA: “EM QUE PÉ ESTAMOS?”

 Rogério: Poderia falar em qual estágio está a Valora ?

Flávio Salsoni: Estamos numa fase de investimentos: Caminhão, Galpão MVP, equipe, treinamentos e tecnologia (blockchain usado no Valora Coin, nossa moeda verde). Também diversificamos nosso portifólio: Consolidamos nossos contratos de PA e criamos novos serviços como o PA para Grandes Geradores, o ValoraCoin e Operador Logístico, (aparas, garrafas e cápsulas de café).

 Rogério: Como vocês veem esse mercado de ESG ?

Flávio Salsoni: Há muitas oportunidades e empresas engajadas  com necessidades claras, como o atendimento a PNRS, lei da logística reversa, empresas  que assumiram metas ESG, como redução de emissão de GEE, CO2, consumo de água, energia, redução de embalagens. Em todas essas frentes a Valora atua. Dizemos que “ajudamos as empresas e as pessoas a cumprirem metas”. Se você tem uma meta ESG, a Valora consegue te ajudar através da valorização dos resíduos recicláveis.

Rogério: Como é inovar em um mercado tão informal.

Flávio Salsoni: O primeiro ponto foi estudar, analisar e mudar algumas coisas que não fazem sentido no Brasil. Por exemplo, a questão das típicas lixeiras separadas por cor/material (vidro, metal, plástico etc). Como tudo segue no mesmo caminhão misturado, não faz sentido separar esses materiais. Por exemplo, em nossos treinamentos e abordagens, simplificamos isso para atrair o engajamento das pessoas. Por exemplo, para as equipes de limpeza orientamos que se o lixo está pesado e com mal cheiro ele deve estar contaminado com material orgânico e deve ser descartado como Não reciclável. Para os moradores orientamos que se está limpo pode ser reciclável e se está sujo é Não reciclável.São dicas simples para iniciar e trazer as pessoas para um melhor descarte e minimizando o rejeito que normalmente segue para os aterros ou lixões.

Outro ponto que fomentamos é a migração de catadores para as cooperativas. Só essa movimentação triplicamos o rendimento mensal do catador.

E é claro a inovação tecnológica que chamamos de Valora Coin. Uma moeda verde. Empresas ou pessoas físicas que desejam impactar positivamente compram essa moeda e nós retiramos resíduos recicláveis de pontos (condomínios ou grande geradores) que hoje enviam os resíduos para os aterros (via serviço de coleta da prefeitura). Entregamos um token digital como as informações de data, hora, local de onde e para onde foram destinados os resíduos. As empresas usam isso em seus relatórios de sustentabilidade.

Minha mensagem final é que “Para que as mudanças aconteçam tem que investir !”.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *