Resíduos: de onde eles vêm e o que podemos fazer com eles?

Você já se perguntou de onde vem o resíduo? Para entender a origem dele é importante saber antes o que é o resíduo. Então para começar vamos te mostrar a diferença entre lixo, rejeito e resíduo. Ter esta informação pode te ajudar a desenvolver um plano de gestão de resíduos e poupar muito dinheiro! 

Isso porque lixo, resíduo e rejeito são normalmente palavras usadas como sinônimos, porém elas não significam exatamente a mesma coisa. E saber as principais diferenças entre esses conceitos pode mudar a forma como você vê esses materiais. 

  • Lixo é tudo aquilo que não se quer mais e joga fora. 
  • Resíduo é aquilo que não serve para você, mas pode ser reciclado para se tornar matéria-prima de um novo produto ou processo.
  • Rejeito é um tipo específico de resíduo que não é mais reciclável e não pode ser reaproveitado.

A princípio você pode estar jogando dinheiro fora se não souber a diferença entre lixo, rejeito e resíduo. No mercado, há fornecedores e compradores dos mais diversos tipos de materiais. Aquele seu coproduto pode ser muito valioso para outra organização. 

No entanto, seu resíduo também não vale ouro! Sem um processo que otimize e minimize a contaminação do mesmo ele pode facilmente virar lixo. A seguir vamos te mostrar o processo originário de alguns resíduos e como você pode lidar com eles da melhor forma para seu reaproveitamento!

A origem do resíduo

Tudo que foi produzido até hoje, foi de alguma forma extraído da natureza.

A matéria prima para a fabricação dos materiais vem da exploração de recursos naturais a partir de atividades de cultivo, extração e mineração, por exemplo. 

Por isso é tão necessário repensar a forma que você consome os recursos e como destinar o resíduo gerado a partir deles. Abaixo segue a fonte dos materiais mais presentes no seu dia-a-dia.

ALUMÍNIO 

Origem: Minas de bauxita. 

É renovável? Não. 

Impactos: Degradação do solo, desmatamento, contaminação dos rios. 

É infinitamente reciclável? Sim. 

Reciclabilidade: Alta. 

É biodegradável? Não.

PLÁSTICOS PET, PP, PS 

Origem: Petróleo. 

É renovável? Não. 

Principais impactos: Poluição dos oceanos. 

É infinitamente reciclável? Não. 

Reciclabilidade: Baixa a média. 

É biodegradável? Não.

VIDRO 

Origem: Sílica. 

É renovável? Não. 

Principais impactos: Gasto de energia. 

É infinitamente reciclável? Sim. 

Reciclabilidade: Baixa a média. 

É biodegradável? Não.

PAPELÃO 

Origem: Monocultura de eucalipto. 

É renovável? Sim. 

Principais impactos: Exaustão do solo, contaminação de rios e lençol freático por pesticidas, alto consumo de água. 

É infinitamente reciclável? Não. 

Reciclabilidade: Média.

É biodegradável? Sim.

Você conseguiu perceber que a produção dos materiais deixam um impacto na natureza? Por isso é tão importante gerarmos uma cadeia que permita o reuso e aumente o ciclo de vida desses recursos explorados. Ao separar os resíduos corretamente, evitamos que sejam jogados em lixões ou aterros sanitários. Separar o material limpo do sujo, pode ser mais importante do que você imaginava! 

A melhor forma de lidar com o resíduo

Quando falamos do ciclo de vida de um material, estamos pensando na forma como a sua forma “residual” será reaproveitada, desde quando ele é projetado até a sua descontinuidade. 

Uma das formas de destinar corretamente os resíduos é pela reciclagem. A reciclagem transforma os resíduos sólidos mudando suas propriedades e transformando-os em insumos ou novos produtos.

Agora que você percebeu que sua reutilização é possível é necessário se atentar para que este material seja separado por tipo, e assim permitir a sua destinação adequada e recompra para outros fins. 

Apesar de estarmos acostumados a pensar no resíduo apenas na sua forma sólida, eles podem ser encontrados também na forma líquida, como efluentes, e na forma gasosa, por exemplo, em processos industriais que formam gases e vapores. 

Independente do seu estado físico o resíduo normalmente pode ser reutilizado e tratado para novas finalidades. Por exemplo, os materiais recicláveis sólidos comuns (como plástico, metal, vidro, etc) podem ser reutilizados em cadeias industriais para retornar novamente como um novo bem de consumo. Já os resíduos em estado líquido e gasoso podem ser reutilizados para produção de energia, por exemplo. 

Para você não ficar com dúvidas sobre como separar corretamente o seu resíduo separamos 6 Principais Dicas Para o Descarte de Resíduos.

Como sair do discurso e agir

A melhor forma de lidar com o resíduo é realizando a destinação adequada e garantindo que ele será reciclado. Se você mora em um condomínio, veja se há um programa de coleta seletiva em funcionamento. Outra opção é entregar os resíduos domésticos em pontos de entrega voluntária, também conhecidos como Ecopontos. Lá costumam receber quase todos os tipos de materiais que podem ser reciclados, inclusive os mais “problemáticos” como lâmpadas, pilhas, baterias e eletrônicos.

Na instituição em que você trabalha verifique se há um programa de sustentabilidade e ações de valorização do meio ambiente. Há diversas formas de as empresas colaborarem. Entre as mais comuns estão: os programas de gestão de resíduos sólidos e reciclagem, investimento em ações de responsabilidade social, consumo consciente de energia e água, adoção de processos de produção mais limpos e definição de metas para redução de emissão de carbono.

O trabalho da  Valora é justamente trazer um novo olhar de valorização dos resíduos recicláveis e sustentabilidade. Por isso, atuamos em toda cadeia da reciclagem. 

Nós acreditamos que é possível:

  • impactar positivamente o meio ambiente 
  • realizar o descarte correto dos resíduos sólidos recicláveis 
  • e valorizar as ações das pessoas envolvidas no processo. 

Por isso, desenvolvemos projetos específicos às necessidades e metas estabelecidas dentro das empresas em temas de sustentabilidade e ESG como Compensação ambiental, Valorização de Resíduos, Coleta Seletiva, Selos de Sustentabilidade, Logística Reversa e Economia Circular. 

Quer sair do discurso e ter uma ação concreta? Entre em contato conosco!

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *